Banco da graça de Deus

Passamos por alguns momentos na vida em que é preciso tomar posição, mudar de atitude, mudar de direção, manter o foco na promessa, andar em direção as coisas de Deus. São aqueles momentos que você diz: “Sai que agora eu quero andar”.
Mas é verdade também que em outros momentos somos testados pelo simples fato de esperar, e não basta apenas dizer, é preciso saber esperar.
Quando penso nessa fase, onde orações já foram feitas, lágrimas foram derramadas e você sente o conforto de DEUS, afinal Ele já recebeu nosso clamor e o nosso papel então é: saber esperar, saber esperar sem desanimar, sem olhar para trás, sem cair, esperar e esperar… o que me vem a mente é que
devo trazer a memória aquilo que me dá esperança (Lm 3:21)
E ao falar de esperar, eu imagino um jardim, um dia ensolarado ou nublado (não importa) e eu lá sentado num banco branco, brilhoso, impecável. É o banco da graça de Deus. O banco da graça de Deus e da espera.
Ao mesmo tempo que estou sentado neste banco esperando, eu já pude ver muitas coisas. Vi casais recém-casados brigando e se separando. Vi discussões com palavras pesadas. Vi pessoas amando o dinheiro e riquezas. Pessoas magoavam pessoas por causa de status, dinheiro e fama. Vi valores pessoais desaparecendo. Vi preconceito. Aliás todas estas coisas ainda vejo. Vejo enquanto espero. Mas ainda assim prefiro esperar o que Deus tem para me dar. Afinal estou esperando em graça. Esperando por que sei que o que vou viver é o melhor de Deus. Sei que a vontade Dele é boa perfeita e agradável.
Enquanto isso muita coisa acontece com quem não espera…

Nenhum dos que esperam em ti ficará decepcionado; decepcionados ficarão aqueles que, sem motivo, agem traiçoeiramente. (Salmo 25.3)

Bom é o SENHOR para os que esperam por ele, para a alma que o busca. (Lamentações 3:25 )

Anúncios