Sobre Empatia – parte 2

chefes-desenvolvem-empatia-sao-melhores-para-empresa-entenda

Olá Pessoal.

Vamos em frente dando  continuidade na série sobre empatia! No primeiro texto observamos o significado e a importância da empatia. Falamos também sobre esta competência comportamental relacionada com alguns personagens na Bíblia, e ainda, na própria conduta de Jesus.

Se colocar no lugar do outro. E quem é que nunca ouviu a frase: Se coloque no meu lugar!

Pois bem, hoje quero abordar um sub-tema, se assim posso dizer: Empatia também é respeitar as diferenças. Ou seja, em um sentido mais amplo: É se colocar no lugar do outro, respeitando a sua condição. Entenda condição como: temperamental, de personalidade, física, social, etc.

E não quero parar por aqui. Preciso sim, fazer esta provocação. Pois quero falar sobre um aspecto congregacional.

Quem lembra do exemplo que eu dei no texto anterior sobre carona?

Um cristão deve se colocar no lugar do outro. E sabe que é até complexo dizer que além disso, ele deve respeitar as diferenças. Penso de uma maneira simples: Se ele se colocar no lugar, certamente isso inclui respeitar as diferenças daquele que quem ele se propôs a se colocar no lugar. Certo? Na teoria seria simples assim. Mas infelizmente isso não tem ocorrido na prática.

Quer um exemplo?

A começar por líderes cristãos, pastores e etc.

Provavelmente seu pastor se utiliza de algumas  ferramentas muito interessantes durante suas mensagens.  Uma delas é a repetição.

Quem é que nunca esteve em um culto onde o pastor diz:

– Repita comigo: O Senhor é meu pastor…

– Repita comigo: Eu sou uma benção…

– Repita comigo: Blá blá blá. E você repete: blá blá blá

Uma outra é: a interação

– Diga para a pessoa que está do seu lado…

-Abrace a pessoa que está do seu lado…

– Faça massagem nas costas da pessoa que está do seu lado.

– De um chacoalhão na pessoa que está do seu lado…

– Diga Búuuu para 4 pessoas ao seu redor. E você diz Búuuu para 4 pessoas ao seu redor.

Os críticos vão rebater:

Mas ele é autoridade!

Mas é profético!

Antes disso, o pastor ou o líder entender que  precisa haver o respeito as diferenças. Ele lidera pessoas e não bois.

Ora, o meu processo de aprendizagem e de absorção da palavra pode ser diferente do modo em que a pessoa do meu lado aprende. Sim é obra do Espírito, mas cada um do seu jeitão!

Isso considerando que algumas pessoas se sentem constrangidas ao tocarem em outras e podem se sentirem constrangidas ao serem tocadas. Pessoas são diferentes, personalidades diferentes, e isso não tem a ver com ser ou não ser cristão. Há sim pessoas que adoram interagir, outras não!

A empatia neste contexto é fundamental. Se colocar no lugar do outro. Inclusive daquele que não gosta de repetir ou de plantar bananeira só porque o pastor diz que é profético.

Respeitar as diferenças e a Empatia. A empatia e o respeito as diferenças.

Gosto daquela definição de igreja: o corpo de Cristo. Somos um! Corpo que é composto por várias partes DIFERENTES.

Pense nisso!

Anúncios