Não é pra ser assim (Sobre preconceito e discriminação)

bandeirinha-gata-300x250e Fernanda-Colombo-Uliana-Mauro-HoritaAFP_LANIMA20140511_0324_50

Já ouvi algumas histórias de pessoas que foram até uma agência bancária de chinelo de dedo e foram discriminadas por atendentes ou gerentes do banco. Ou por vestirem “roupas simples”, pelo jeito caipira, (se assim posso dizer), etc.  Quando na verdade essa pessoa foi realizar transações bancárias de valor altíssimo.

Ouvi também um caso em que a pessoa foi a uma concessionária de veículos, de chinelo de dedo e com roupas “velhas”. E então demorou para ser atendido, solicitou a ajuda de um vendedor que o desprezou com o olhar . No entanto a pessoa sai da loja com um carro novo, pago a vista, em dinheiro.

Há também aqueles casos em que negros são “observados” em lojas de departamentos como se fossem furtar algo da loja.

Fatos como estes são comuns também em Supermercados, Shoppings e demais estabelecimentos comerciais.

Outro episódio que me chama a atenção é quando algum homem vestido de terno e gravata, sapato brilhando, entra em um ônibus coletivo/ transporte público. O olhar das demais pessoas em volta é de espanto.

Já vivenciei diversas situações de preconceito e discriminação. Pelo jeito de andar, por ter uma deficiência. Aliás, por ter deficiência e ter curso superior, por exemplo. Para contextualizar : Há muitas pessoas que se assustam quando falo que tenho pós graduação. Creio que na mentalidade limitada destas pessoas. não haveria necessidade, pois há uma cota para contratar pessoas com deficiência, logo, encontrar emprego é simples.

Pessoas que procuram na Giana (minha esposa), uma deficiência. Afinal, na cabeça de muitos, pessoa com deficiência deve casar com pessoa com deficiência. Cansei de ouvir: ” E ela é normal?” “E ela também tem problema?” ” E ela também tem deficiência?”

Preconceito por preconceito, há em todos os campos sociais, certo?

Até por ser bonita!

Veja só o caso da assistente de arbitragem de futebol (bandeirinha) FERNANDA COLOMBO ULIANA. A jovem de 23 anos realmente chama a atenção por sua beleza.

Fernanda como qualquer outro(a) profissional cometeu alguns erros de arbitragem, e segundo ela, “foi criticada por ser bonita”.  Veja a matéria completa: https://br.esporteinterativo.yahoo.com/noticias/-fui-criticada-por-ser-bonita–afirma-bandeirinha-que-errou-no-cl%C3%A1ssico-mineiro-223852350.html  

Erros de arbitragem acontecem ao monte, em todos os jogos, mas será que tem a mesma repercussão que os erros cometidos pela jovem bandeirinha?

Aliás, não estou defendendo ou isentando Fernanda, pois se os erros forem comprovados, deve sim passar por punições e reciclagem, como qualquer outro colega de trabalho.

O que não pode haver é uma “super proteção” ou uma “pressão” em relação ao trabalho dela, pelo fato de ser bonita . Pois considerando as duas situações estamos diante de atos discriminatórios.

Se ela vai ou não posar nua, é um outro assunto, certo? E o que os outros tem a ver com isso?

Sempre quando falo do assunto preconceito ou discriminação, seja por qual característica for, lembro de João 3.16

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.  João 3:16

Destaco, o mundo, ou seja TODOS. Para Deus , TODOS é TODOS. É o homem simples de chinelo, é o rapaz de gravata que pega ônibus, é a pessoa com deficiência, é a pessoa sem deficiência. É a Fernanda. Eu e você, TODOS, o mundo!

Alguns sofrem preconceito por serem filhos de pastores, outros são menosprezados  porque frequentam a igreja XYZ

Quando a Bíblia fala ao contrário:

Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. Gálatas 3:28

Para Deus não há parcialidade. Veja que interessante:

Então Pedro começou a falar: “Agora percebo verdadeiramente que Deus não trata as pessoas com parcialidade,  mas de todas as nações aceita todo aquele que o teme e faz o que é justo.  Atos 10:34-35

Todos fomos criados a imagem e semelhança de Deus, penso que  qualquer ato que discrimine o nosso semelhante, se torna uma afronta ao próprio Deus.

 

 

Anúncios