A chave certa

large

Hoje eu estava pensando a respeito de chaves. Isso porque eu estava com várias delas nas mãos. Uma delas abre o portão do condomínio. Outra abre a porta do bloco onde moro. E uma outra abre a porta do apartamento. Cada chave tem um tamanho, um modelo, e, obviamente, cada uma tinha o seu objetivo específico. E fiquei pensando também sobre propósito. Assim como a chave certa, assim são nossos talentos. Não adianta tentar “abraçar o mundo”. Tentar fazer mil coisas ao mesmo tempo e deixar de lado aquilo que realmente importa.

E o fato de escrever um livro sobre minha história não tem a ver com uma história de superação, apenas. Mas sim, com as portas que eu pretendo abrir. E sabe que é assim que eu devo encarar este momento que estou vivendo. São chaves que Deus está depositando em minhas mãos e eu preciso usar cada uma delas corretamente.

Um destes propósitos é alcançar outras pessoas com deficiência. Para alguns pode parecer distante e utópico, porém, eu quero muito poder entregar um exemplar do meu livro para Herbert Vianna. Não basta escrever, será preciso dar alguns passos para estar com pessoas como o Herbert.

Ainda hoje, assisti um vídeo muito interessante. (Na verdade era uma reprise do programa Encontro com Fátima Bernardes). É a história de uma jovem, a modelo mineira Paola Antonini de 20 anos. Ela sofreu um acidente e teve uma das pernas amputadas. É uma história surpreendente . Te convido a assistir o vídeo na íntegra e você irá se surpreender.

http://gshow.globo.com/programas/encontro-com-fatima-bernardes/O-Programa/noticia/2015/04/modelo-que-perdeu-a-perna-desabafa-a-beleza-e-muito-mais-que-o-fisico.html

São Paolas, Herberts e tantas outras pessoas que eu preciso encontrar.

Hoje percebo o meu problema como chaves, que podem abrir portas que outras pessoas não abririam. Assim como eu não posso abrir portas com chaves que eu não tenho.

E você? Quais as chaves você tem nas mãos? E que portas você pode abrir?

Ah!!! sobre o livro: aguardem novidades em breve!

Anúncios